Dezembro 2018 – eNews

“Traremos a Jesus, ao mesmo tempo tão grande e tão pequeno, todas nossas fraquezas, nossas dificuldades, nossos sentimentos, assim como nosso amor e boa vontade. Que grande alegria, meu amigo, lembrar que nesta santa Noite o angélico mensageiro enviado por Deus prometeu as recompensas de paz nãos somente para os santos, mas para as pessoas de “boa vontade”. Não somos santos, de modo algum, mas nosso presente de Natal para nosso amado Amigo será nossa total, jubilosa boa vontade”

                                                                                Elisabeth Leseur por Janet K Ruffing, RSM

Enquanto reflito nestas atemporais palavras de Elisabeth datadas de 15 de dezembro de 1911, me recordo do sentido do Natal. Decorar, cozinhar, assar, comprar presentes, reuniões sociais e familiares acontecem em dezembro em preparação ao Natal. Tão frequentemente, nos comprometemos com coisas demais e ficamos sobrecarregados com exigências auto impostas e expectativas irreais durante a época natalícia. É tão fácil ficar preso na agitação e perder de vista o verdadeiro sentido do Natal; a celebração do maior dom de Deus para nós – o nascimento de Jesus nosso Salvador.

Os escritos de Elisabeth me inspiram a desacelerar, respirar, relaxar, rezar e estar presente no momento com uma vontade de ser uma pessoa de “boa vontade”. O que significa ser uma pessoa de “boa vontade”?Quando eu reflito sobre esta questão, muitas coisas vêm à mente.  Pode significar oferecer um ouvido atento para alguém lutando com uma doença ou um problema sério. Tomar tempo para ligar ou visitar alguém que você não vê faz um tempo ao invés de enviar uma mensagem de texto ou um cartão. Usar palavras amáveis e um sorriso quando cumprimentamos ou conversamos com um amigo ou um estranho. Um sorriso é uma janela para seu coração. Visitar um amigo ou um ente querido num hospital ou asilo. Oferecer uma mão amiga ou um abraço para alguém em necessidade. Comprar uma xícara de café para uma pessoa idosa sentada sozinha e espalhar a alegria do companheirismo passando alguns minutos com ela. Talvez dar dinheiro ou comida para um pessoa sem-teto sem ser crítico. Esses são exemplos de simples, mas significativos atos de bondade que podem nos inspirar a ser uma pessoa de “boa vontade”.Mostrando amor e bondade aos outros, mantemos Jesus em nosso coração. É importante considerar como podemos estender nossos atos de “boa vontade” para além da época de Natal.

Então cante bem alto durante nossa celebração de Natal: “Glória! Glória a Deus no mais alto dos céus! E paz na terra aos homens de boa vontade!”.

Que seus corações e os corações das pessoas que você tocou sejam repletos de paz, amor e alegria!

Feliz Natal!

Patricia Conroy

Patricia Conroy mora em New Kensington, Pensilvânia, nos Estados Unidos. Ela é católica praticante e está casada por 39 abençoados anos. Patricia trabalha na área da saúde como citotecnologista por 40 anos. Ela também é uma instrutora certificada de yoga.