Maio 2019 eNews

Saudações de Pittsburgh! Eu costumo trabalhar duro com Joe e nossos tradutores para enviar nossas reflexões no primeiro dia do mês, mas este mês esperamos alguns dias. Hoje, 03 de maio, marca os 105 anos que Elisabeth partiu desta vida. Serão celebradas 12 Missas hoje em quatro países (Brasil, República Dominicana, França e os Estados Unidos) com a intenção da causa de canonização de Elisabeth. Todas as Missas foram postadas no seguinte link.

Novamente expressamos nossa gratidão a todos que ajudaram nesta grande manifestação de apoio. A vida e as palavras de Elisabeth continuam a impactar tantos ao redor do mundo.

Uma de nossas grandes apoiadoras nos Estados Unidos, Karen Feitl participou de um retiro alguns anos atrás pregado pelo Pe. Ben Syberg que focou um fim de semana na vida e escritos de Elisabeth. Karen recentemente entrou em contato com ele e lhe pediu para escrever uma reflexão para nós.

Reflexão de Maio 2019

Eu descobri Elisabeth num momento que eu certamente necessitava dela. Com cinco anos de seminário, Deus me enviou esta maravilhosa mulher, este precioso tesouro de inspiração e clareza. Vários anos depois, dando um retiro sobre sua vida para sessenta mulheres católicas, eu quase tinha esquecido o quanto tinha tirado de Elisabeth. Tendo então sido sacerdote po menos de dois anos, a descobri uma vez mais. Eu preciso descobri-la mais e mais. Porque ela nunca me decepcionou.

Ele me mantém na linha reta. A linha reta bem no meio. Porque há tanto que pode me desequilibrar. O mundo, por exemplo. Quando o mundo parece moderno demais, instável demais, rápido demais ou iluminado demais, eu me lembro que Elisabeth vive no coração da Franca laicista. Ela é uma santa que nasceu apenas sessenta anos após a Revolução Francesa. Ou quando me parece que meus melhores esforços não são o bastante, que eu não consigo fazer a diferença e nada que faço importa, eu me lembro que Félix se tornou sacerdote depois que Elisabeth morreu. Quem teve mais motivo para desistir, e ainda mais razão para celebrar a paciência de Deus!

Quando sou apanhado por meus próprios sucessos, meus dons e talentos, quando me sinto do topo da vida e em controle, eu me lembro de sua montanha de escritos sobre sofrimento e sobre a cruz. Eu me lembro que ela entendeu o que importa. No entanto, quando me sinto sobrecarregado pela cruz, pela doença e franqueza, e as armadilhas da vida, eu me lembro quão alegre Elisabeth era. Mesmo quando sou apanhado pela depressão, e me repreendo por isso, eu me lembro – Elisabeth também sentiu tristeza na sua vida. Ela conheceu um profundo vazio. Depressão não faz de ninguém um fracassado.

Quando eu penso que eu não tenho tempo para família, eu me lembro de todo amor que ela mostrou por seus sobrinhos e sobrinhas. A família foi sempre seu centro. Quando olho para nosso país e nossa cultura, e quero cortar todos os laços com ele e fugir, eu me lembro que Elisabeth amou sua terra natal. Ela era francesa no seu centro. Quando eu penso que não é permitida a leveza, as coisas mais finas e as alegrias da vida, eu me lembro que Elisabeth teve essa permissão. Então eu tenho também!

Sim, Elisabeth sempre me coloca no caminho estreito. Um que raramente se toma, mas que está bem na minha frente. Eu agradeço a Deus porque ela ainda me mostra o caminho.

###

Pe. Ben Syberg é sacerdote da Arquidiocese de Indianapolis. Ele serve como Pároco da St. Lawrence in Lawrenceburg, Indiana. Ele celebrará seu quinto aniversário como sacerdote neste verão. Ele gostaria de ser um santo, mas nem sempre tem certeza como.

A citação de Elisabeth preferida do Pe. Ben é a seguinte:

“Eu não devo ceder ao meu imenso anseio pela reclusão e solidão apesar de meu inconsolável luto e a natural aversão à superficialidade” (Diário em 17 de outubro de 1905).

 Pedidos de Oração

Continuamos a receber pedidos de oração e periodicamente atualizamos a página de Pedidos de Oração. Se quiser acrescentar um pedido de oração, por favor, envie um e-mail para nós paraelcause.org@gmail.com.

Com nossas orações.

Jennifer e Joe